Ir direto para menu de acessibilidade.
Você está aqui: Página inicial > > Notícias > > Fiuza reivindica instalação de bancos em praça do Jardim Paulista
Início do conteúdo da página

Fiuza reivindica instalação de bancos em praça do Jardim Paulista

Fiuza reivindica instalação de bancos em praça do Jardim PaulistaFiuza reivindica instalação de bancos em praça do Jardim Paulista04/10/2017 - O vereador Fiuza (PT) está reivindicando a instalação de bancos (assentos) na praça do Jardim Paulista. Em discurso no plenário, nesta segunda-feira (2), o vereador disse que os moradores estão cobrando a instalação destes equipamentos.


“Como representante da cidade, fui cobrado”, afirmou Fiuza, manifestando expectativa de que a obra da praça seja finalizada rapidamente. Segundo o vereador, o espaço é utilizado por muitos moradores da região. “Com uma praça sem banco, o povo acaba sentando no chão”, reclamou.


De acordo com Fiuza, a instalação de aproximadamente 15 bancos seria suficiente para atender os moradores do bairro. No discurso, o vereador disse que tais reivindicações foram feitas no último final de semana, em reuniões com lideranças comunitárias, no Jardim Nova Alvorada.


ENTULHOS
O vereador também solicitou a retirada de entulho na região da rua 16, no Parque do Café. Segundo ele, a prefeitura já realizou a limpeza recentemente, mas pessoas voltaram a fazer o descarte irregular do lixo. “Temos que usar o bom senso e fiscalizar”, sugeriu o vereador. Ele orienta que sejam feitas denúncias ao Poder Público, sempre que tal atitude for presenciada.


Em aparte, o vereador Jesus Lopes (PR) disse que presenciou o descarte irregular de entulhos de material de construção no bairro Parque do Café, em local recentemente limpo pela prefeitura. O fato ocorreu na segunda-feira (2). Jesus disse que “chamou a atenção” do cidadão e prestou a devida orientação, ressaltando a importância da consciência ambiental.


REFORMA DA PREVIDÊNCIA
Fiuza também voltou a criticar a proposta de Reforma da Previdência. Segundo ele, o Governo Federal recuou da iniciativa, recentemente, mas existe o risco de o assunto voltar à pauta do Congresso. O vereador sugeriu que a sociedade se manifeste, via redes sociais, visando barrar a aprovação de propostas que, segundo ele, contrariam os direitos dos trabalhadores.


“É um descaso ao trabalhador, à trabalhadora [...] Nós precisamos lutar, não podemos sossegar”, disse Fiuza. O parlamentar também afirmou que, na sua visão, as discussões sobre a Reforma da Previdência tem relação com a luta de classes - entre a elite, proprietária dos meios de produção, e a classe trabalhadora. “Quem está lá encima, a elite, não vai pensar em nós não”, pontuou.

registrado em:
Fim do conteúdo da página